quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Sua esposa assim na praia...



E aí... tem coragem??

7 comentários:

Anônimo disse...

e porque não? saraejunior97@hotmail.com

Anonimo disse...

Hum excelente cu


Aproveito para divulgar o nosso blog

oqueachamdela.blogspot.pt

Visitem, votem e escrevam

Obrigado

Ricardo-DF quero casais disse...

Gostosa, bunduda, to de pau duro.

>> A melhor posição que curto comer mulher de CORNO é a seguinte:

O corno por baixo de sua mulher num 69, o CORNO chupando a bucetinha dela e eu metendo a pica pra dentro da bucetinha dela.

>>> Eu sou de Ceilândia, Brasília-DF sou comedor de esposinhas, procuro casais liberais, casadas, noivas,namoradas e solteiras. Adoro comer as esposinhas dos meus amigos na frente deles. Adoro gozar dentro da boca das casadas e mandar o CORNO limpar tudinho. Tenho 35 anos, qualquer casal que curta entre em contato comigo.

>>>ricardaodf@hotmail.com ou (61) 9100-8848 Operadora claro.


>> OBS.: Favor não fiquem mandando mensagens para o meu celular, se quiserem me liguem pois sou comedor de esposinhas e não mensageiro. Curto real sou comedor nato.

>>> FAVOR ME LIGUEM EM DIAS ÚTEIS POIS NÃO LEVO ESSE CELULAR PARA CASA.

>>> Casais que procuram homem (macho) para sua mulher (esposinha) que sejam daqui do Distrito Federal ou que possam vir prá cá.

Anônimo disse...

Belíssima loba ! Que bunda maravilhosa ! Estava na praia com um casal amigo meu - o cara é meu amigo de colégio - em Grumari, Rio de Janeiro, um lugar parecido com este aí. Paradisíaco. Para dar mais detalhes, preciso descrever o casal. Darei o nome dela de 'Suélen' e dele de 'Lauro'. Suélen tem 45 anos e é loba rabuda igual a esta da foto. Boa para caralho. Super simpática e amiga mas chegada 'as putarias'. Minha mulher é amiga dela mas saem pouco. Porque ela é chegada a dar olhares lânguidos para os machos na rua, principalmente negros e mulatos altos, fortes. Por ter corpão e bundão, usa vestidos justíssimos e apertados. Calça jeans branca e salto alto são com ela mesmo. E, nos últimos os anos, após os quarenta, a coisa piorou. Achava estranho a atitude de minha esposa porque elas, minha esposa e Suélen, conversam muito pelo telefone mas, saírem juntas, poucas vezes e, geralmente, nas manhã e início da tarde. Forcei e minha esposa contou o porquê disto. E, quem anda com puta, puta é. Por isso, diminuiu muito as saídas com ela. A minha amizade com o Lauro contou. Mulheres que não se dão é problema para as amizades masculinas. Lauro é o típico brasileiro de 46 anos. Barriga de chope, pernas e braços finos, torcedor fanático pelo Flamengo. Branco feito um fantasma. 1,70 de altura. Piruzinho. Sim, é pouco dotado. Apaixonadíssimo pela mulher, amante à moda antiga mas, tudo indica, não dá no couro como a Suélen gosta. Enche ela de presentes, estão com a vida estabilizada, bom emprego, o dele, no estado garante uma vida boa para a família. Eles tem dois filhos adolescentes.

Anônimo disse...

Então, naquela terça feira de um Verão chuvoso - no fim de semana e no dia anterior havia chovido muito - saiu um sol fortíssimo e resolvemos ir à praia. Minha esposa não foi preferindo ficar com a nossa filha, ir ao shopping. Tinam combinado isso e a minha filha estava irritada com a ideia de ir para praia. Chegamos de carro à barra da Tijuca e Suélen disse por quê não irmos até Grumari. E fomos. sem transito, 'avançamos' facilmente. Lauro pediu para pararmos no supermercado. Comprou um isopor. Pegou gelo filtrado e metemos latas de cerveja. Suélen pegou uns biscoitinhos. Lá fomos nós. Praia vazia, ficamos perto de uma mata num lugar de Grumaria, após as pedras, chamado de 'Praia de Abricó'. Ideia do Lauro. o lugar estava vazio e assim permaneceu por horas. Chegamos as 10 horas e 1 hora da tarde, só nós. bebíamos e Suélen esturricando-se no sol com a seu biquíni fio dental, de bruços e de frente para o mar. Começei a ter uma ereção vendo aquela bundão e resolvi mergulhar no mar calmo. O lauro ficou lendo uma revista que havia comprado de boné e óculos escuros, debaixo da barraca. Da água, notei que ele tinha abaixado a cadeira e botado o boné no rosto. Estava tirando uma soneca. Vejo, então, um homem careca, negro, alto, meio gordo - barriga de jacaré - coxas fortes e grossas vindo na nossa direção. Suélen, radar ligado, ficou olhando para ele. Saí da água e o cara passou pela gente não indo muito longe pois a praia acabava logo. Era pequeno o espaço da tal ' praia do Abricó'. Detalhe impressionante: O sujeito, uns 2 metros de altura estava com o caralho balançando a mostra !Era enorme e grosso ao extremo ! Batia, de cima para baixo, óbvio, quase na altura dos joelhos ! A cabeça do pau estava escondida só mostrando o rasgo do 'palhaço'. A glande era bem menor que o tronco, bem menor, mas maior que a glande do meu pau. Cheio de veias os tronco e um saco enorme pendurado logo as trás dele. Virei viado por uns segundos. Nunca tinha visto algo tão enorme na vida ! Um verdadeiro pau de cavalo !

Anônimo disse...

Suélen não só notou como se ajeitava toda na toalha estendida. Empinava a bunda e fazia cosquinha onde passava o fio dental, imagino no cú a cosquinha. O sujeito passou com uma mochila nas costas e, vendo o meu espanto, virando-se para mim, disse como a voz bastante grossa: "aqui é praia de nudistas". A Suélen veio na minha direção e contei a novidade. Ela riu e ficou olhando para o negão que tirou uma toalha da mochila e estendeu-a na areia, uns 15 metros da gente. Piorou porque dava para ver o tamanho do cara e o tamanho da mangueira dele. Suélen ficou vidrada. Não tirava os olhos do cara e o cara notou. Bom, o Lauro roncava. " Tá me dando uma fome... sabe que aqui tem um quiosque que vende peixe grelhado, uma delícia, e fica logo aqui, em cima, na estrada para cá. pô, vamos comer uns dois... compra lá, Dudu "!, disse a Suélen. Eu estava morto de fome e apesar da ameaça tão próxima, não via perigo já que o lauro estava do lado dela. Lá fui eu comprar os peixes. demorei uma meia hora. Sorte que só um casal estava lá, e preparam rapidamente duas tainhas. Fui equilibrando os dois peixes, devagar, e quando cheguei, cadê a Suélen ? O Lauro roncava direto ! Pior ! Cadê o negão ? Segui as pegadas da Suélen. Sou bom nisso desde criança. Acha duca as técnicas do bosquimanes, na África, para caçar e me especializei nisso, por hobby. As pegadas da Suélen iam até metade do caminho entre a nossa barraca e se encontrava com pés de um sujeito grande. Um verdadeiro pé grande, e entravam, as pegadas dos dois, na mata que fica entre a areia e a estrada lá em cima. Fui devagar. Ouvia as penas ondas quebrando no mar e ouvia também gemidos cada vez mais fortes. Como era subida, senti o som diminuindo e andei mais para esquerda e descendo novamente. E fui descendo. Não precisava der saído da areia. Atrás de uma pedra não muito grande e com a mata circundando-a, vi a Suélen pedindo pelo amor de deus para ser comida enquanto mamava um imenso caralho negro que não conseguia abocanhar mais do que 1/3 dele.

Anônimo disse...

E aí ela parava e pedia mais, virando-se, deixando o negão segurá-la pela cintura, empinava bem a bunda e o cara metia na boceta dela. Não que era violento mas por ser enorme, ela tinha que se segurar bem pois os solavancos eram bem fortes, fazendo com a bunda dela fosse para cima e para baixo. Ela se segurava na pedra e com outro braço se segurava no braço musculoso dele. Ele falava muita coisa no ouvido dela e segurava a cabeça dela - e depois a testa - com uma mão enorme largando a cintura dela mas com a outra ainda lá. Nem se importava se o corno aparecesse, com aquele tamanho, até eu. Ela, sim, olhava de vez enquanto, para a a barraca para ver se o Lauro estava dormindo e fechava os olhos gemendo de tesão. o negão fazia ela descer e a fazia mamar o caralhão e ela lambia o tronco com ele punhetando. Ele levantava ela, virava novamente e metia. Num momento disse algo que deixou ela aterrorizada ! Ela parecia se debater, não querer. Ele a segurou fort pela cintura e tirou o pau com a mão direita mas procurava por algo naquela 'região'. Deu um tapa fortíssimo na bunda dela, ela olhou para ele. E ele, ameaçando ela com o dedo indicador em riste na cara dela, olhos bem esbugalhados, disse algo forte. Só ouvi um "vira, porra "! O cara abriu bem as pernas dela, a bunda dela com as duas enormes mãos negras. Ela fazia cara de choro ! Ele meteu a cara dele dentro daquela bunda maravilhosa e , se afastando um pouco, deu para ver, cuspiu no cú dela "! Logo depois, cuspiu no caralhão e meteu a cabeçorra pequena no cú dela, que ficou com a bunda estufado com um imenso porrete negro enfiado abrindo bem nos lados. Ela gemia alto mas recebeu a mão dele para abafar os gemidos e gemidos. Chorava muito a Suélen e o cara fodia, metia o que podia dentro daquela bunda. Fodeu e fodeu ! Até parar e gozar... Ela então, se viu livre do sujeito e deu um tapa no peitoril dele. Correu na direção do mar. Ele foi calmamente para onde estava a sua mochila. E assim vi a Suélen ser enrabada. O Lauro não sabe de nada. Fingi ter ido pegar pimenta mas os caras não tinham. Tinha acabado. Ela se deitou de bruços novamente com cara de triste mas os óculos escondiam os olhos. Mexia no cú toda hora. O negão enorme passou pela gente indo embora. Voltei para casa e pedi para minha mulher não ir mais passear com a suélen. Por quê ?" Muito piranha e vão achar que você é também ", disse. Que curra a Suélen levou...



Amigo de corno